Categoria em Saúde da Mulher

Como perder peso? Comece vencendo os seus medos!

Sentir medo de perder peso pode soar um pouco incoerente, essa é a verdade. Em uma sociedade que defende padrões estéticos rigorosos e valoriza tanto a beleza, chega a dar calafrios a ideia de não eliminar a temida barriga e os quilos extras. Agora, é seu subconsciente estiver pregando uma peça para evitar o alcance da meta tão sonhada?

Você já começou e recomeçou dezenas de dietas e reeducações alimentares? Para quem vive nesse ritmo, muitas segundas-feiras começaram com o pique total dos exercícios. Da mesma forma, muitos sábados terminaram com pizza, refrigerantes e Netflix. A deslizada se torna o fim de tanto esforço acumulado ao longo da semana. 

Esse também é seu problema? Então continue a leitura e confira a nossa reflexão e dicas sobre o tema.

Reforce sua confiança interna

Quem sofre de efeito sanfona já passou por esse processo uma, duas, dez vezes. Será que a confiança e a autoestima será a mesma na 11.ª? Certamente que não. De fato, a psique humana não reage bem à frustração recorrente. Por isso, engordar e emagrecer diversas vezes acaba gerando sentimento de culpa e a resistência interior a cada nova tentativa.

Afinal, a mente busca sempre fugir do sofrimento. O medo de fracassar não está presente somente em um processo de emagrecimento, mas pode estar ligado também ao desenvolvimento intelectual, profissional e amoroso. Para vencer o problema, é preciso manter uma imagem positiva dessa fase, reconhecendo e eliminando os gatilhos mentais que levam a sabotagem.

Faça uma auto análise

Essa medida serve não somente para perder peso como para atingir metas profissionais, intelectuais ou outros assuntos pessoais. Se você tem passado por problemas recorrentes em uma dessas áreas, vale a pena a reflexão.

Atingir o corpo e saúde desejados trarão desdobramentos em sua vida até então desconhecidos. Obviamente, desejamos apenas resultados positivos e prazerosos ao fim dessa jornada. A verdade é que não sabemos 100% quais serão as consequências de eliminar esse peso. Olhe para si mesmo e tente reconhecer o que você acredita que tem a perder caso atinja a meta desejada.

Mude seu mindset

O objetivo da mente é se manter segura onde está, vivenciando as sensações que ela já conhece, sejam boas ou ruins. Mesmo que um futuro mais magro reserve elogios, roupas elegantes e muita energia, o instinto de sobrevivência do nosso cérebro preferiu “permanecer no abrigo” do que correr risco em “terras desconhecidas”.

Sinceramente, não há como saber qual desses medos — do sucesso ou do fracasso — pode nos atingir mais. O que percebemos, com base na observação e comportamento de pessoas que tentam emagrecer sem conseguir, é que a posição ou o horário do exercício, a contagem dos pontos ou a filosofia alimentar importam menos do que o modelo mental adotado emagrecer de vez. 

Devemos combinar as melhores informações e dicas possíveis de alimentação e exercícios, uma vez que o emagrecimento é um processo multidisciplinar. Mas sem nutrir sua mente e espírito continuamente para fazer desse objetivo a sua PAIXÃO, é pouco provável conseguir.

Vencer o medo é crucial para quem quer aprender como perder peso e atingir o visual desejado. Esperamos que essas dicas sirvam para encarar o dilema com um novo olhar, adquirindo força interna para vencê-lo. Sabemos que a tarefa não é fácil, mas desistir de si mesmo não é uma opção inteligente. Mesmo que algumas vezes pareça desanimador. recomece sempre que preciso.

Como melhorar a autoestima? Confira 5 dicas fundamentais.

Como Melhorar a autoestima

Ter uma autoimagem positiva não é nada fácil. A baixa autoestima pode representar uma pedra nos nossos sonhos, na saúde de um relacionamento, no desenvolvimento pleno do potencial e das capacidades. Contudo, manter esse quadro é desistir de conhecer a si mesmo e deixar-se vencer pelas derrotas anteriores. 

A verdade é que o sentimento de fracasso gera uma autopiedade viciante. A frase pode parecer dura a princípio, mas muitos — infelizmente — preferem a posição de vítima em vez de buscar uma melhora. E pode ter certeza de que não estamos falando somente de beleza estética apenas.

Foi pensando no assunto que listamos 5 medidas pessoais para melhorar a autoestima. São cuidados para o corpo, mente e espírito que farão você perceber que você vale todo esse esforço. Veja a seguir:

1. Cuide (sim!) da aparência

Há quem pense que esse ponto não tem tanta importância, mas na prática é um pouco diferente. Faça o possível, dentro do seu tempo e limite, só não deixe de investir na própria imagem. O dilema de algumas pessoas nesse sentido é ser 08 ou 80. Ou saem de casa totalmente maquiadas, gastando os tubos com tratamentos, ou só faltam sair de pijama pela cidade. Para ambos os casos, o que falta é equilíbrio. 

Mesmo que não seja de tantos extremos, procure manter um mínimo de zelo possível com sua aparência. Um batom, unhas feitas e uma roupa escolhida com cuidado e antecedência já farão diferença na sua vida, acredite. Esses pequenos cuidados não servem apenas para causar uma boa impressão nas pessoas, mas para fortalecer sua confiança.

É claro que todos merecem respeito, mas sua postura certamente será outra ao longo do dia. Isso acontece porque você se sentirá bem e as pessoas ao redor percebem essa positividade. No início pode ser um pouco difícil, ainda mais quando a autoestima está muito baixa. Por isso, comemore cada avanço com gratidão: uma pulseira, uma ida à manicure, uma hidratação nos cabelos, tudo conta!

 2. Arrume suas gavetas

Passar uma tarde no sofá com o Netflix não tem preço. O que muitos não sabem é que sentir-se útil pode ter tanto ou até mais valor. É comum ouvir de terapeutas e especialistas que as gavetas de uma pessoa são o espelho da alma. Por incrível que pareça é notória a mudança de comportamento em pessoas que iniciam um processo de arrumação dos armários e da casa.

Quem assiste o reality show da personal organizer Marie Kondo enxerga como as pessoas se sentem mais leves e saudáveis após o processo de transformação da casa. Muitas roupas saem para doação e com elas o sentimento de culpa e a acumulação. Conforme você organiza seus objetos, seus pensamentos acabam se ordenando e o empoderamento surge. 

3. Não viva do passado, nem do futuro

Ou em outras palavras, dê um basta na ansiedade. É difícil ter uma autoestima positiva quando tudo o que norteia a mente são cobranças e preocupações excessivas. Esses dilemas geralmente residem nos arrependimentos pelo que passou ou nas altas expectativas do que está por vir.

Aprenda a se manter sempre com a cabeça no presente. Comece a aceitar as suas imperfeições e os erros cometidos, de modo que você se sinta mais confiante em ser simplesmente aquilo você é em essência. A prática da meditação e técnicas de respiração podem ajudar.

Saiba que novos problemas virão, eles fazem parte da nossa existência e são inevitáveis. Se estressar e sentir tensão antecipada não irão evitá-los, nem resolvê-los. Por mais incrível que pareça, uma mente focada no presente devolve a calma interna e traz confiança na capacidade de resolver situações desafiadoras.

4. Seja Grato

Agradeça a Deus, ao Criador ou ao Universo por tudo aquilo de positivo que acontece em sua vida. É ateu? Agradeça ao acaso, mas não deixe de reconhecer todas as coisas boas ao seu redor. Talvez no começo seja um pouco difícil percebê-las, pois nossa mente está geralmente focada na dor e em como evitá-la. 

Já parou para pensar em tudo que poderia ter acontecido contigo do trabalho para casa? Ou na generosidade despretensiosa daquela pessoa que segurou o elevador para você por 3 segundos e salvou seu almoço? Reconheça esses pequenos gestos como presentes da vida para você.

Como você pode perceber, o sentimento da gratidão é muito maior do que dizer obrigado ou realizar uma prece. É um estado de espírito baseado em emoções positivas. Lembre-se que pensamentos positivos atraem energias positivas. Não se trata apenas de fé, mas do uso científico da física quântica.

5. Perdoe (a si e aos outros)

Muitos pensam que não liberar perdão é um direito — quase um dever — daquele que sofreu e precisa ser “vingado”. Na verdade, manter esse sentimento é se acorrentar à dor que lhe infligiram. É dar ao mal o poder de decisão sobre a própria vida. Já imaginou entregar tanto poder aos próprios inimigos? Quando você não libera perdão é isso que você faz.

A partir do momento em que se consegue perdoar verdadeiramente os malfeitores do passado, surge uma vontade de viver e de amar que até então era quase nula. O ato deixa a pessoa mais leve e colabora significativamente para a melhora da autoestima. 

E se você faz isso com o erro dos outros, porque não adotar a mesma postura com os próprios deslizes? Acredite: perdoar a si e aos demais pode dar uma nova inspiração para viver e você mais do que merece isso.

Se você chegou até aqui é sinal que está disposto a ser o seu melhor, tentar outra vez. Esperamos sinceramente que essas dicas possam ajudar em seu crescimento pessoal e emocional. Como última recomendação, associe essas práticas e mudança de crenças com um estilo de vida e alimentação mais saudável para potencializar seu novo momento de vida.

Você já pratica alguma dessas ideias para se valorizar? Tem alguma outra dica para compartilhar? Deixe seu comentário, assim a gente pode se conhecer melhor, combinado? Até breve!